foto: Andrew Neel
Comportamento

Ansiedade e estudos na quarentena : Como lidar?

Em tempos de quarentena, incertezas e ansiedades que vivemos por conta do isolamento social, é sempre importante nos entender em primeiro lugar, e entender maneiras de potencializar nosso melhor. 

Hoje temos um conversa com a Isabella, que nos mostra algumas dicas de como facilitar o entendimento do universitário nesse período da quarentena, e como continuar, de maneira leve, a rotina que sempre esteve presente em nosso dia a dia. 

Isabella D’Avilla é mestranda na Faculdade de Educação de Minas Gerais (UFMG), pós-graduada em Intervenção Psicossocial no Contexto de Políticas Públicas no Centro Universitário Una, graduação em Psicologia pelo Centro Universitário de Belo Horizonte – UniBH (2018). Líder no Núcleo de Orientação Psicopedagógica e Inclusão (NOPI) do Centro Universitário de Belo Horizonte – UniBH. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase na área de Psicopedagogia, Inclusão e Diversidade. 

Acompanhe abaixo como foi nosso bate papo.

 de Beca: Como a quarentena pode afetar a vida dos estudantes? Existe também os prós? 

ID: Esse momento de isolamento social tem sido um desafio para todos nós. Uma quebra extrema de rotina assim pode ser extremamente desafiadora e é preciso se permitir sentir um pouco os impactos emocionais causados. Mas também é preciso não deixar que esse sentimento tome conta de todas as nossas tarefas e que a paralização nos tome por completo. Para isso, podemos pensar em estratégias de organização, buscar observar o espaço e o tempo disponível para tudo e estipular momentos para cada atividade, estudo, trabalho, momento de sociabilizar e também o momento de estar só. E esse é também o ponto positivo. Nesse momento podemos aprender estratégias que são positivas para qualquer momento da vida. Podemos valorizar as relações afetivas e momento em sala de aula. 

 de Beca: Existe algum tipo de exercício que possa auxiliar as pessoas para amenizar efeitos negativos da quarentena? 

ID: São múltiplas as possibilidades para enfrentar esse momento e também tem o fato de que as pessoas lidam com o isolamento também de maneiras diferentes. Buscar entender o que se sente, é uma estratégia singular para todos, algumas vezes não conseguimos fazer isso sozinhos e podemos contar com ajuda de psicoterapia. Além disso, tente manter o contato com amigos pelas vias digitais, organizar a rotina para executar suas tarefas diárias e faça exercícios físicos.  

 de Beca: Como tem sido a sua rotina, enquanto profissional da psicologia durante essa quarentena? 

ID: Tenho tentado manter uma organização diárias das minhas tarefas, me permitindo falhar algumas vezes no que programo, considerando que meu foco de atenção se altera um pouco neste novo cenário. Tento me adaptar um pouco cada dia e mantenho os estudos. Estamos fazendo atendimentos de acolhimento para as demandas de ansiedade dos estudantes que tem sido considerável, complementando com o auxílio nas estratégias de estudos. Os desafios de acessibilidade estão sendo novos a cada dia e superados também nesse mesmo ritmo, o que me faz aprender coisas novas a cada dia.  

 de Beca: Existe algum canal que a pessoa que estiver aflita e ansiosa, possa acessar para conseguir algum tipo de ajuda psicológica de forma gratuita? 

ID: Existem algumas psicoterapias com valor social, além dos auxílios que as universidades estão fornecendo através das clínicas escolas. Para além disso, as pessoas podem buscar conteúdos que lhes acalma, considerando que cada pessoa possui uma estratégia muito pessoal. Pode ser que prefiram as meditações, yoga, vídeos de mantras, ASMR e outras. Mas é importante frisar que não é a mesma coisa que psicoterapia, que é feito por um profissional da psicologia e propõe um cuidado comprometido com a saúde mental do paciente.  

 de Beca:  Você recomenda alguns hábitos para serem seguidos regularmente que possa ajudar os estudantes nesse momento? 

ID: Tentar manter a rotina anterior mesmo dentro de casa, é uma das estratégias divulgadas para manter a produtividade. Utilize agenda, escreva seus compromissos, estabeleça prazos possíveis, não tente fazer as tarefas na cama, use roupas confortáveis, estar em casa também tem muitas vantagens, precisamos valoriza-las. Combine com quem você divide a casa os horários que estará ausente e que precisa se concentrar. Tente descobrir as coisas que estão não estão funcionando e vai alterando. 

 de Beca: Deixe aqui uma dica se série, filme, ou algum conteúdo online que possa ajudar os alunos que seguem nessa mesma área. 

ID: Desconheço séries e filmes que retratem diretamente essas questões de forma que seja positiva para quem está vivendo essa situação. Mas, sugiro algumas produções leves que saiam um pouco dessa lógica que acaba gerando mais ansiedade. Como exemplo, a série Atypical é bem levinha e retrata a realidade de uma pessoa autista, o que é muito interessante, já que é um universo diferente do nosso. Vale a pena.  

 de Beca:  Deixe aqui um profissional da área que te inspira, e que possa inspirar outras pessoas. 

 Gosto muito dos conteúdos do professor Fábio Belo e também do canal “Casa do Saber”.  

E aí, gostou do nosso bate papo? Você pode encontrar a Isabella nas redes sociais clicando AQUI.

 

4 Comentários

  1. Gostei muito da entrevista de Isabella pois as respostas foram bem práticas e objetivas. Na verdade não existe uma fórmula pronta pro geral das condutas nesse momento do enfrentamento. Realmente estabelecer uma rotina e cumprir a agenda diária nos ajuda a nos organizar mental, física e psicologicamente. Precisamos estar preparados e em dia com nossos compromissos pra fazer a viagem de volta. Parabéns Isabella. Obrigada!

    1. Realmente, Maria Isabel! Seguimos firmes frente a isso. Obrigado pelo comentário.

  2. Muito bom! Parabéns pelo conteúdo.

    1. Muito obrigado, Paulo. Bom te ver por aqui com a gente 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *