Mercado

Seja um ótimo profissional da Comunicação na quarentena (e fora dela)

Hoje temos uma pergunta para você, comunicativo e comunicativa do meu Brasil, seria o curso de Publicidade e Propaganda ideal para seu gosto? Hoje tivemos uma conversa com o publicitário Rafael Alves, que nos contou como ele começou na área da comunicação, e como hoje, ele vê o cenário atual  da quarentena dentro desse ramo.

Rafael Alves Papa, 23 anos é formado em Publicidade e Propaganda, no Centro Universitário de Belo Horizonte na turma conceito máximo do ENADE do respectivo ano. Tem três anos e meio de experiência no mercado de Marketing onde participou da produção executiva de mais de 50 ações e eventos culturais, empresariais, universitários entre outros. Atualmente, é analista de marketing na empresa Soul Malls, uma empresa Nacional do segmento de Shoppings Centers com mais de 10 empreendimentos em todo o Brasil.

Rafael nos mostra seu entendimento e percepção sobre o que um profissional de marketing deve desenvolver para se destacar no mercado, e conta qual sua análise de mercado pós-quarentena. Ao final, deixa dicas bem legais para quem adora essa área da comunicação. Confira abaixo como foi nossa conversa. 

 de Beca: Como você identificou que a comunicação seria o ramo que você se graduaria?  

RA:Essa história é engraçada, no meu terceiro ano do ensino médio, eu estava um pouco perdido sobre o que eu iria fazer. Estava em outros momentos da minha vida, era em faixa preta de taekwondo e já estava dando uma aula nesse momento, então até aí tinha outros planos para mim. Até que chegou o momento de ENEM e vestibulares,  e me considerando uma pessoa bem procrastinadora nesse ponto de não saber o que eu queria fazer, escolhi que este não era o momento certo, então continuei com meu foco no taekwondo durante o ano de 2014 todo. Acredito que uma boa dica é entender que nesse momento temos 17 /18 anos e de certa forma, somos pressionados pela sociedade e pelos meus pais em procurar uma graduação e saber o que a gente quer, porém é uma decisão muito grande e que não levamos em consideração, e acabamos indo pressão social, escolhendo algo que as vezes não gostaríamos de fazer. Em 2015 consegui uma nota consideravelmente boa no ENEM, só que eu ainda não tinha decidido o que eu iria fazer, então eu comecei a pegar a opinião de pessoas e ver o que elas achavam acerca de algumas graduações, fiquei muito propenso em fazer educação física, só que ao mesmo tempo eu sempre fui bem comunicador e sempre gostei de conversar. Então no segundo semestre de 2015 fiz minha inscrição no PROUNI – e por incrível que pareça tudo se encaminhava para fazer alguma coisa na área de exatas –  mas eu acabei me inscrevendo para cursar Publicidade e Propaganda no UniBH, e em Marketing em outra instituição, conseguindo bolsa nos dois cursos, então comecei a pesquisar e decidi por Publicidade e Propaganda, onde acabei me apaixonando.  

 de Beca: Na sua opinião, o que um aluno deve desenvolver durante a graduação para poder se inserir no mercado de marketing? 

RA: Para poder contextualizar, quando entramos na área de Marketing  e Comunicação e a gente aprende que é um mercado que muda muito, entendemos que já não se faz marketing em 2020 como se fazia em 2010, onde começou a se falar de redes sociais,  e trazendo isso para uma soma histórica, 10 anos em uma sociedade é muito pouco, e mesmo assim mudamos muito nesse período de tempo. Em termos de redes sociais, por exemplo, em 2015 o Snapchat ‘bombava’ e agora – aqui no Brasil –  ninguém sabe mais do que é, o Facebook mesmo sendo uma ferramenta muito boa, perdeu sua força para o Instagram, então fazer marketing é muito isso,  é mudar muito e precisamos desenvolver esse dinamismo, de estar sempre disposto a mudar, estar ligado ás tendências da sociedade. Porém, acredito que uma das habilidades que mais precisamos aprender em qualquer tipo de graduação é o network, aprendi – e concordo – que a faculdade serve para fazer network. É uma é uma fase na vida onde é preciso conhecer pessoas, e se você pensar na sua graduação vai entender que está conhecendo pessoas que irão trabalhar ou já estão ser inseridas no mercado, e  você poderá trabalhar com essas pessoas. Então entendo que a faculdade é um espaço que te proporciona a realização importante desse network. 

 de Beca: Como você analisa o mercado de Belo Horizonte nesse sentido de atuação? As empresas tem se atentado mais para essa área? 

RA: Pode parecer muito clichê, mas a empresa e instituição que não olha para a  comunicação, tende a sucumbir e a ter desempenho muito ruim. Teoricamente, é um mercado que estuda a sociedade e seus hábitos de consumo, se empresas  não se atentam à isso elas estão propensas a quebrar. O mercado de Belo Horizonte, mesmo não sendo o centro referência da comunicação no Brasil, é um mercado muito bom, os mineiros e Belorizontinos são bem conservadores, mas apesar disso, são bem competentes. É um mercado que tem investimento na área – poderia ter mais – mas a gente está caminhando para crescer bastante, pelo menos em alguns meses atrás esse crescimento era perceptível, mas iremos presenciar um cenário diferente de recessão em todas as áreas depois dessa crise que estamos vivendo agora do COVID-19.  

 de Beca: Nesse momento atual do COVID-19, como você acha que o profissional de marketing pode se destacar? 

RA: Estamos ligados em um mercado que estuda tendências e comportamentos da sociedade, então acredito que nesse momento o profissional de marketing vai ser mais do que essencial, pois tenho certeza que os hábitos de consumo irão mudar ainda mais. Como exemplo, podemos ver a área delivery  que não parou, pelo contrário, teve seu aumento, pessoas que não tinham costume de consumir via e-commerce, estão aprendendo a fazer isso, pois a comodidade de você comprar o produto de casa sem precisar sair é muito grande. Entretanto, em outra via, entendemos que não precisamos consumir muito e que conseguimos viver sem muita coisa que antes considerávamos essenciais. E é neste momento que o profissional de comunicação vai ter que aprender se adaptar e fazer marketing para isso. 

 de Beca: Como você vê o cenário pós-quarentena desse ramo? 

RA: Está sendo um período muito desafiador para todas as áreas, mas vou fazer das falas de um professor meu de Gestão e Empreendedorismo, Heyllid Lauar: “Em meio às grandes crises, existe as grandes oportunidades”. Não se cria coisa nova se a gente não se sente desafiado, eu acredito que é um período que vai ensinar a gente fazer isso.  Por isso, muitas das grandes coisas que a gente está vendo agora no mercado, foram frutos é desenvolvidos depois daquela crise de 2008, onde vivemos uma crise econômica, e muita coisa boa foi criada naquela, e acredito que vamos passar por isso agora, onde teremos que se reinventar novamente.  

 de Beca: Deixe aqui uma dica se série, filme, ou algum conteúdo online que possa ajudar os alunos que seguem nessa mesma área.

RA:
Série: Mad Man, acredito que todo publicitário deveria assistir, onde retrata o auge da publicidade na época dos anos 60, onde podemos perceber e fazer um comparativo de como muita coisa mudou dos tempos de lá para cá.  

Filme: Do que as Mulheres Gostam, é um filme onde o protagonista sofre um acidente e começa a ler a mente das mulheres, e após isso ele tem de desenvolver uma campanha publicitária, o que de certa forma temos de fazer ao entender nosso público alvo. 

 de Beca: Deixe aqui um profissional da área/empresa que te inspira, e que possa inspirar outras pessoas. 

RA: Um profissional muito legal da área de  marketing que eu gosto de acompanhar é um Douglas Gomides, ele é um cara bem fera em marketing digital, que estuda muitas plataformas que estamos inseridos, olha para a sociedade e analisa muito bem seu comportamento.Sou uma pessoa apaixonada pelo que as marcas fazem, e entendo que uma das coisas que as empresas precisam fazer, é se posicionar, sem medo do que as pessoas irão dizer, pois compramos marcas, e com isso, suas opiniões, trazendo consigo os consumidores que estão atrelados ao posicionamento de tais empresas. A Netflix, mesmo sendo conhecida por muitos, para mim é uma empresa que se posiciona muito bem, sendo case referência para muitas empresas e para todo mundo.

E aí pessoal, gostaram? Conheçam mais da carreira do Rafael em seu perfil do linkedin, ou sigam ele mais de perto no seu perfil do instagram.
 

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *